28 de mai de 2010

Menino Jesus de Praga


Fernando II, imperador da Alemanha, para expressar sua gratidão a Nosso Senhor pela vitoriosa batalha alcançada, mandou construiu em 1620, na cidade de Praga, um convento dos Padres Carmelitas. A região passava por grande necessidade devido às guerras. A situação na região era tão grave que até os padres no convento não tinham o que comer e muito menos recursos para ajudar aos necessitados.
Nesta época vivia em Praga uma princesa chamada Policena Lobkowitz. A princesa viu que os padres do convento passavam por necessidades, então lhes presenteou com uma pequena estátua de cera que ela ganhou de presente de sua mãe por ocasião de seu casamento.
A imagem representava o Menino Deus de pé com a mão direita erguida em atitude de bênção. A mão esquerda segurava um globo dourado e a princesa tinha costurado a túnica e o manto. Ao dar a estátua aos religiosos carmelitas, ela disse: "Meus padres, entrego-lhes o maior tesouro que possuo neste mundo. Prestem muitas honras a este Menino Jesus e nada lhes faltará."
Os Carmelitas, muito agradecidos, receberam a estátua e colocaram-na no oratório interno do convento, passando a ser venerada, especialmente pelo Padre Cirilo, que mais tarde seria conhecido como o "Apóstolo do Divino Menino Jesus de Praga".
Pouco tempo depois a imagem passou a ser venerada duas vezes por dia em momentos à parte pelos Carmelitas. A profecia dita pela princesa tornou-se realidade: diversas graças passaram a ser realizadas e as necessidades do convento passaram a ser socorridas.
Mas este período de graças durou pouco, uma vez que acaba de “explodir” a guerra dos trinta anos, a devoção ao Menino teve que ser cessada. Temendo por suas vidas, os padres do Convento resolveram que estariam mais seguros se fossem para Munique. No dia 15 de Novembro de 1631 as tropas do Rei Gustavo Adolfo da Suécia invadiram Praga e suas tropas tomaram e destruíram todas as igrejas e conventos da região. Além do roubo de tudo que era precioso do mosteiro e da igreja, os soldados protestantes zombaram da imagem do Santo Menino e jogam-na para detrás do altar, onde ficou esquecida por mais de 5 anos.
Em 1637, no ano seguinte ao que Praga é reconquistada, os padres Carmelitas retornam para o convento. Agora mais do que nunca a miséria da região ficou pior, e a Ordem Carmelita não tinha dinheiro para reconstruir o que fora destruído ou para a sua sobrevivência.
Padre Cirilo retorna a Praga no mesmo ano que os demais padres, mais um pouco depois que eles. E vendo a tristeza estampada no rosto de cada um, Pe. Cirilo exorta os religiosos para que insistam junto a Deus para colocar fim a tantos males, o Padre Cirilo aproveita para falar-lhes da inesquecível imagem do Divino Menino. Pede licença para buscá-la e a encontra, finalmente, entre os escombros detrás do altar. Limpou-a e a cobriu de beijos e lágrimas.
Estando ainda inteiro o rosto da imagem, ele a colocou no coro para que os religiosos a venerassem. Os Carmelitas, confiantes em sua proteção, se ajoelharam diante do Divino Menino, implorando para que fosse seu refúgio, fortaleza e amparo em todos os sentidos. A partir do momento em que a imagem foi colocada em seu lugar de honra, o inimigo bateu em retirada e o convento foi reabastecido de tudo que os religiosos necessitavam.
Certo dia, o Padre Cirilo orava diante da imagem, quando ouviu claramente estas palavras: "Tende piedade de mim e eu terei piedade de Vós. Devolvei minhas mãos e eu vos devolverei a paz. Quanto mais me honrardes, tanto mais vos abençoarei". A imagem ainda estava danificada devido à ação dos soldados e estava sem as mãos, detalhe que até então não tinha sido percebido pelo Padre Cirilo. Surpreso, o bom Padre correu imediatamente à cela do Padre Superior e lhe contou o fato, pedindo-lhe para mandar reparar a imagem. O Superior se negou a atendê-lo, dizendo sobre a extrema pobreza do convento.
Mais tarde Padre Cirilo foi chamado por um homem pobre, que humildemente lhe deu 100 florins de esmola. Padre Cirilo levou o dinheiro ao Superior, na certeza de que poderia usá-lo para consertar a imagem, porém o Superior achou que uma imagem nova seria mais apropriada e mandou comprar uma nova imagem ainda mais bela, mas que não durou muito. No dia de sua inauguração um candelabro que estava bem preso à parede desabou destruindo a nova imagem.
O Superior que ordenou a compra da nova imagem adoeceu e ficou impossibilitado de terminar o seu mandato.
Um novo Superior fora eleito e Padre Cirilo voltou a suplicar pelo conserto da imagem. Mais uma vez o pedido foi rejeitado alegando que não havia recursos suficientes. Logo após a rejeição Padre Cirilo recorreu a Nossa Senhora e misteriosamente pouco depois do pedido ele foi chamado para a igreja onde uma senhora de aspecto venerável se aproximou e entregou uma esmola de valor considerável, e logo após desapareceu sem que ninguém a tivesse visto entrar ou sair. De novo com a posse do dinheiro Padre Cirilo pede ao seu superior o conserto da imagem e de novo o pedido é negado.
E de novo calamidades recaíram sobre o convento. Os religiosos não podiam pagar as despesas de uma propriedade improdutiva que haviam arrendado. Os rebanhos morreram, a peste devastou a cidade. Muitos carmelitas, inclusive o Superior, foram açoitados. Todos recorreram ao Menino Jesus. O Superior se penitenciou e prometeu celebrar 10 missas diante da estátua e propagar seu culto. A situação melhorou consideravelmente, mas como a imagem continuava no mesmo estado, o Padre Cirilo não se cansava de se lamentar diante de seu protetor, quando ouviu de seus divinos lábios estas palavras: "Coloca-me na entrada da sacristia e encontrarás quem se compadeça de mim".
E não surpreendentemente apareceu um desconhecido que notou o belo Menino sem as mãos e se ofereceu espontaneamente para repô-las. Este homem recebeu uma graça: ganhou nos tribunais uma causa quase perdida, com a qual salvou sua honra e sua fortuna. Em 1642 o fluxo de devotos do milagroso Menino já era grande e os padres Carmelitas desejavam construir uma capela pública em um lugar indicado por Nossa Senhora ao Padre Cirilo.
Porém, faltavam os recursos e, além do mais, tinham medo de iniciar esta nova construção num tempo em que os protestantes estavam arrasando todas as igrejas católicas. Contentaram-se em colocar a imagem na Capela exterior, sobre o altar principal, até quando a princesa Policena Lobkowitz mandou construir um novo santuário, inaugurado em 1644, no dia da festa do Santíssimo Nome de Jesus. Juntamente com o novo santuário o culto ao Santo Menino propagou-se rapidamente e as noticias sobre as graças começaram a se espalhar.
 Passaram a vir pessoas de todas as partes para prostrar-se diante do milagroso Menino: pobres, ricos, enfermos, toda espécie de pessoas referiam-se a Ele como remédio para todas as suas tribulações.
À vista dos prodígios operados, a devoção do Menino Jesus de Praga, confirmou-se, estendeu-se, tornou-se universal. Até essa devoção chegar ao Brasil, trazida pelos Carmelitas.
Essa então é a história do Menino Jesus de Praga. Peçamos a sua poderosa intercessão dizendo: Divino Menino Jesus, Abençoai-nos. 

Nenhum comentário: