16 de mai de 2014

PARTILHANDO A VIDA

Eduardo dos Reis Santos, da cidade de Taquaritinga, Diocese de Jaboticabal, participante do GO Jesus Fonte de Água Viva partilha um pouco com o blog Menino Jesus sobre a sua experiência com o MC.


BMJ - Há quanto tempo você atua no ministério para crianças?

EDUARDO - Eu estou no ministério para crianças já faz três anos.


BMJ - Conte-nos como foi seu primeiro contato com o MC

EDUARDO - Eu tinha me afastado da Igreja por um tempo, quando eu retornei, estava completamente mudado e comecei a perseverar no grupo de oração. A coordenadora estava com dificuldade de servos para ajudar nesse ministério. Ela me fez o convite e eu aceitei. Até então eu era músico, estava parado, mas foi o que eu sempre fiz na Igreja. Mas quando eu ia eu reparava que quando eu não preparava nada antes as crianças ficavam muito agitadas, bagunceiras e isso me incomodava e quando eu era escalado comecei a preparar as atividades antes para as crianças e tudo foi mudando. Depois de um tempo eu me tornei coordenador do MC.

BMJ - Qual o diferencial do MC? 

EDUARDO - O diferencial do MC é a linguagem utilizada para evangelizar as crianças que é totalmente diferente para um adulto. E a resposta delas é rápida e pura quando falamos de Deus Pai, de Jesus, do Espirito Santo, de Maria e de toda Igreja, etc. Por exemplo, quando a gente conta uma história para falar das coisas de Deus a gente percebe o brilho nos olhos delas, porque “convencer” um adulto na minha opinião é mais fácil, não pela sua capacidade mental, mas porque quando pregamos para os adultos e utilizamos somente a emoção a gente consegue tocar mais fácil o seu coração, e muitas vezes isso é um perigo porque se nos encantamos com qualquer palavras bonitas sem realmente conseguir saber se tudo aquilo que o evangelizador consegue transmitir é verdade, até por ele mesmo não viver isso. Mais a uma criança você não consegue enganar, se você não evangeliza com amor, com testemunho, você não consegue tocar o coração de uma criança.

BMJ - Você acha que você encontrou essa linguagem própria? Como se consegue isso?

EDUARDO - Sim, eu consegui. Nós temos que fazer a seguinte pergunta: Será que meu método de evangelização é eficiente? Será que falo na linguagem das crianças? Será que essa linguagem todos entendem? Se não, como eu posso fazer para que essas crianças possam entender ?  A minha grande preocupação não é com a maioria, mas sim atingir aquelas crianças que muitas vezes não querem participar das atividades, eu sempre tento entender essas crianças e agir de uma maneira que eu possa fazer elas terem gosto pelas atividades. Sempre lembro que Jesus veio para os necessitados, os doentes. Lógico dou atenção para todas as crianças mas sempre fico atento com aquelas que ficam quietinhas, isoladas ou que fazem de tudo pra chamar atenção. E mesmo tendo conseguindo isso, sempre procuro inovar, trocar experiências.

BMJ - Qual a relação que você faz entre os Encontros do MC e essa inovação e troca de experiências que você colocou acima?

EDUARDO - Os encontros do MC que me proporcionaram essa inovação, nos direcionando, e também como devemos agir com os nossos abençoados que nos dão um pouco de trabalho. A gente aprende não somente com os formadores mas também com as outras pessoas que vão no encontro. Muitas relatam suas experiências e a gente acaba aprendendo muita coisa.  Muitas vezes a gente adiciona no face e vem algum evento que eles fizeram com as crianças ai eu tento fazer aqui com as crianças, se precisar mudar alguma coisa eu mudo e é assim que trocamos experiência. Resumindo, tudo isso se deve aos Encontro do MC.

BMJ - Neste Aprofundamento Estadual em Indaiatuba você estará presente? O que diria aos que desejam ir mas estão com alguma dificuldade?

EDUARDO - Sim estarei presente. Mesmo com as dificuldades devemos fazer o impossível para estarmos nesse Aprofundamento. Quando estamos em missão, em aprofundamentos, em experiência de oração, etc, o Senhor cuida da nossa casa e da nossa família, os nossos problemas aparecem a solução. 

Um comentário:

Fernanda Colombo disse...

A entrada do Eduardo no ministério foi mesmo uma inspiração do Espírito Santo e a indicação para a coordenação foi uma confirmação dos dons que este servo tem no tratamento com as crianças, minha filha adora ele.